Marketing digital e o abismo entre as gerações: a mesma estratégia não vale para todos

Momento inédito no mundo atual reúne cinco gerações: baby boomers, geração X, Y, Z e Alfa interagem entre si, mas se comportam e têm preferências diferentes. Aí está o grande desafio para empresas e profissionais de marketing ao realizarem campanhas de consumo e valorização de marcas.

Veja no artigo:

1- Quem são as gerações baby boomers, X, Y e Z e como elas interagem?

2- Cada geração influencia de forma decisiva o mercado digital

3- Como cada uma das gerações podem ser impactadas com o Marketing

Vivemos um momento em que cinco gerações vivem e interagem juntas no planeta, com comportamentos e preferências diferentes e até contrastantes. Isso reflete no que consomem, seja produto, serviço ou conteúdo. A maioria delas se conectam e compram online. No entanto, descobrir o que funciona para cada geração, público e persona, em sua singularidade, é o desafio das empresas e profissionais de marketing ao desenvolver suas campanhas na Internet.

É preciso, antes de mais nada, saber com quem se quer comunicar e interagir, depois entender como cada público e pessoa se comporta, para então atingi-las nas estratégias de marketing e vendas do seu negócio e empresa.

gerações

A verdade é que não dá para fazer a mesma estratégia de marketing que funcione para todo mundo! Porque não vai funcionar.

Responda então uma pergunta:

Você considera as gerações para a sua estratégia de marketing? 

Se ainda não, então leia esse texto que você vai mudar de ideia!

Afinal, quem são as gerações baby boomers, X, Y e Z e como elas interagem?

Como já abordamos, cada pessoa e grupo de pessoas se comporta de uma maneira na vida e, portanto, na internet e nas compras. Vamos entender melhor porque isso do ponto de vista das gerações?

Primeiramente vem os baby boomers, que são os nascidos entre os anos de 1945 e 1964, e a geração X (nascidos entre 1965 e 1981). Essas duas gerações são as que detém a maior parte das posições de liderança nos negócios, além do poder aquisitivo relativo. 

Baby boomers

Essas duas faixas etárias, segundo pesquisas, atuam conjuntamente e já dividem o mundo dos negócios.

Enquanto as gerações Y (nascidos entre 1981 e 1996) e Z (entre os anos de 1995 a 2015), sendo, portanto, muito mais digitais, já representam a maior parte da força de trabalho, bem como os maiores mercados consumidores do mundo. E estes dados servem também para o Brasil.

Vale lembrar que ainda temos a geração Alfa, formada pelas crianças nascidas mais recentemente, desde o ano de 2010. Apesar de serem crianças e pré-adolescentes, elas também utilizam a Internet e influenciam nas compras realizadas pelas demais pessoas citadas, de outras gerações.

Lembrando que  quando falamos em personas estamos falando de uma pessoa ou figura que represente o seu cliente ideal, aquele em que você focou ao desenvolver um produto, serviço e estratégia de campanha. A persona é baseada em dados reais sobre comportamento e características demográficas dos seus clientes, incluindo suas experiências pessoais, que geram motivações, objetivos, desafios e preocupações.

A confusão pode ser grande se não houver este conhecimento profundo sobre os públicos. Imagine que a grande desconexão já começa nas empresas convencionais, entre os executivos mais velhos, que tomam a maior parte das decisões, e seus gerentes e clientes mais jovens. 

Considerar a faixa etária é fundamental nas estratégias de marketing

Faixa etária é, portanto, comprovadamente, fator fundamental nas estratégias e campanhas de marketing e cada geração, composta por pessoas de uma faixa de idade influencia de forma decisiva o mercado digital.

Quando pensamos nas estratégias de Marketing Digital e performance de campanhas online então, é preciso levar em conta a faixa etária dos públicos.

Ao criar uma estratégia  para atingir um ou mais públicos, a empresa, por meio de seus gestores e profissionais de marketing, devem considerar este como fator fundamental.

É preciso pensar “Com que público queremos nos comunicar e qual o perfil iremos atingir?”. Só após este exercício é possível definir os canais que deverão ser usados para se comunicar, assim como os formatos de conteúdo.

Este cenário gera obstáculos significativos na gestão e futuro dos negócios e deve refletir, portanto, na escolha das estratégias e campanhas a serem desenvolvidas para o marketing das empresas.

Marketing para baby boomers e as gerações X, Y, Z e Alfa

Muitos descompassos entre as gerações têm ocorrido em muitas organizações, enquanto elas mantém baby boomers atuantes no mercado, havendo já a maioria dos líderes da geração X. 

Isso, segundo pesquisa e citação no livro Marketing 5.0, a geração Y representa a maior fatia da força de trabalho, ao passo que a geração Z é a que mais contribui com novatos.

Este é, portanto, um Raio X do atual mercado de trabalho. Observá-lo pela lente das gerações vai ajudar os profissionais de marketing a compreender melhor de que forma implementar melhor as estratégias do Marketing 5.0, fazendo uso das novas tecnologias.

Cada geração influencia de forma decisiva o mercado digital

Cada geração é moldada por um ambiente sociocultural e uma experiência de vida diferente. Elas têm preferências e atitudes distintas em relação a produtos e serviços e essas escolhas influenciam de forma decisiva também no mercado digital.

Elas são, portanto, impactadas de forma diferentes por ofertas, anúncios e pelas experiências como consumidoras. 

Essas diferenças envolvem até mesmo os modelos de negócios. 

A geração X, por exemplo, conheceu o mundo sem e com a internet, o que lhe permite adaptar-se relativamente bem tanto ao ambiente de trabalho tradicional quanto ao digital.

Unboxing

Já a geração Y dá mais importância à experiência do que à posse, por isso consomem músicas por meio de plataformas streaming, como Spotify, e não CDs com álbuns de seus cantores preferidos. Seguindo outra tendência, preferem andar com transportes por meio de plataformas por aplicativo, como Uber e 99, do que ter um carro. 

Entendimentos assim geram estranhamentos e incompreensões entre chefes e subordinados, assim como pais e filhos. É preciso, no entanto, que as empresas entendam o sentimento e desejos de cada uma destas pessoas, para se comunicar bem com elas e até surpreendê-las, antecipando desejos. 

Assim acontece a transformação digital. 

Porém, inábeis muitas vezes e sem informações, a maioria das empresas não se posiciona de maneira a atender todas essas demandas, ficando presas a um portfólio restrito de produtos e serviços, que não permite a customização para cada geração. Este é, então, outro problema.

As empresas, no mundo todo, sentem dificuldades em adaptar-se e oferecer um produto com ciclo de vida mais curto, que seja motivado pelas mudanças rápidas de necessidades e desejos das gerações mais jovens.

A verdade é que muitas empresas, de todo tipo de setor, quer seja automotivo, eletrônico, de alta tecnologia ou moda, sentem a pressão para desenvolver novos produtos de forma rápida, mas, muitas vezes não garantem a qualidade. E as novas gerações querem qualidade e para já.

Gerações participam da sociedade em momentos diferentes

As gerações X, Z, Y ou baby boomers são pessoas que nasceram em épocas diferentes, quando a sociedade passava por momentos claramente singulares, portanto, vivenciam e se comportam de maneira discrepante diante de uma mesma realidade ou abordagem.

As gerações experimentam a vida de forma diferente e, sob tantos aspectos, assumem pontos de vista também diferentes. Por vezes, até conflitantes. Mas, isso é que impulsiona a evolução e a transformação social e digital, gerando novas necessidades. Assim, novos produtos e serviços são criados, com tecnologias e inovações.

Marketing para gerações

Elas são testadas por meio de usuários e podem vir de uma ou mais gerações. O principal ponto é que o que funciona para uma geração costuma não funcionar para outra. Por isso, as plataformas a serem escolhidas também mudam.

Como cada uma das gerações podem ser impactadas com o Marketing

Se uma mesma abordagem e estratégia não funciona para todas as pessoas, idades e perfis, é preciso pensar em diferentes formatos e ações para que cada uma das gerações possa ser impactada pelo marketing. 

É preciso usar uma estratégia diferente para cada faixa etária e isso vale para produtos, serviços e conteúdos informativos. Para isso, é preciso ter conhecimento e foco. 

Mesmo que a maioria das pessoas reaja melhor com o uso de apelos visuais e sonoros, como é o caso dos vídeos, é preciso estudar e explorar qual tipo de mensagem atrai cada público. Qual linguagem ele se identifica e consome. 

Afinal, as campanhas de marketing são feitas para as pessoas, certo? 

Elas (as diferentes pessoas, de diferentes idades, gostos e facilidades) estão lendo, interagindo e publicando em suas redes sociais, pesquisando no Google. Elas reagem, assim como nós, com base em suas experiências e conceitos de mundo. 

Mas há ainda um fator interessante a considerar. Apesar de uma geração não compactuar ou gostar de uma ideia ou anúncio que outra se conecta, ela pode influenciar nas decisões de compra. 

Isso porque, comprovadamente em pesquisas, as gerações interagem entre si e uma influencia a outra, Inclusive na tomada de decisão, ao escolher um produto ou serviço.

Podemos considerar algumas peculiaridades, considerando as preferências por geração. Como exemplo, temos as gerações baby boomers e X, que preferem conteúdos mais detalhados, com descrição do produto e especificação técnica. Elas buscam informações deste tipo na hora de pesquisar algo para compra e levam em conta o custo-benefício.

Enquanto as gerações Y e Z compram a experiência que um produto oferece. Neste caso, o reforço de marca é muito importante, bem como as características visuais e o status que ele proporciona socialmente, ou facilidades na rotina diária.

Considerando essa realidade, as empresas e profissionais de marketing precisam levar estes fatores em conta na hora de elaborar estratégias de marketing. Com foco na faixa etária e comportamento das pessoas.

Importância e dificuldade de definir um público alvo 

Muitas marcas miram nos baby boomers e na geração X para lançarem novos produtos, já que são gerações com mais recursos e disposição para o consumo. No entanto, a maior parte do valor das marcas é criada a partir dos anseios das gerações Y e Z. Por meio da sua influência no digital. 

Fato é que as gerações Y e Z estão começando a influenciar os pais baby boomers e a geração X em muitas decisões de compra. Por isso, as empresas precisam encontrar o equilíbrio entre a criação de valor no presente e o posicionamento de suas marcas para o futuro. A divulgação recai também nesta premissa.

Por definição, os baby boomers têm mais potência econômica, mas está envelhecendo. Enquanto os chamados “filhos do meio”, que são da geração x, lideram. 

Os millennials (geração y) são aqueles que perguntam “Por que”, enquanto os primeiros nativos digitais são os da geração Z. Para apimentar ainda mais este grande bloco de público está a geração alfa, que são os filhos dos millennials.

É importante estar atento também na hora de selecionar os mercados-alvo. A maior parte do valor continua a ser criada quando as marcas atendem os baby boomers e a geração X. No entanto, a maior parte do valor das marcas é criada quando estas são endossadas pelas gerações Y e Z. 

Além disso, é preciso considerar que as gerações Y e Z  influenciam os pais baby boomers e X em muitas decisões de compra. As empresas precisam encontrar o equilíbrio entre dois objetivos: criar mais valor no presente e começar a posicionar as marcas para o futuro.

Cada cliente é único e a personalização é o futuro

Cada cliente é único e com apoio tecnológico, o marketing pode ser movido pela customização e personalização em um nível individual. Com uma segmentação que deverá ser feita para uma só pessoa e não mais grupos, como é atualmente.

Por enquanto, a máxima é: buscar meios estratégicos para se comunicar com cada um dos seus públicos. Por exemplo, se você escolher o Pinterest como uma plataforma para divulgar seu produto e encontrar seu público, faça um estudo para saber como ele gostaria de ser abordado e o que ele busca de conteúdo ali. 

Não é mais possível fazer para todos, da mesma forma. Se você quer estar em todos os lugares, esteja. Mas faça da maneira certa.

A gente te ajuda nas estratégias!

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

Posts relacionados

Open chat