Entenda o que é e como funciona a Inteligência Artificial no seu dia a dia

Inteligência Artificial (IA) é o assunto do momento porque está ligada às principais inovações do mercado e transformações digitais. Essas mudanças, especialmente em serviços prestados por grandes empresa e startups, influenciam na maneira como pessoas e empresas se relacionam com a tecnologia e com o funcionamento das coisas. O aprendizado de máquina é o principal impulsionador

Inteligência Artificial (IA) é o assunto do momento porque está ligada às principais inovações do mercado e transformações digitais. Essas mudanças, especialmente em serviços prestados por grandes empresa e startups, influenciam na maneira como pessoas e empresas se relacionam com a tecnologia e com o funcionamento das coisas. O aprendizado de máquina é o principal impulsionador da inteligência artificial. Entenda como:

O que é inteligência artificial?

Antes de abordar exemplos de como a Inteligência Artificial (IA) influencia as tarefas do nosso dia a dia, é importante defini-la. O assunto se refere à capacidade das máquinas pensarem como a gente, ou melhor e mais rápido, em muitos casos. Para isso, os robozinhos criados precisam aprender as informações para então raciocinar, conectando todo o volume de dados absorvido, decidindo de forma racional e inteligente.

O termo foi criado em 1956, quando o professor universitário John McCarthy o descreveu como a possibilidade futurista das máquinas resolverem problemas antes reservados para nós, humanos. Apesar do conceito não ser novo, os computadores precisaram evoluir para que a teoria virasse prática.

Para isso, foram criados:

  • Modelos eficientes para classificar, processar e analisar dados de forma inteligente;
  • Acesso a um grande número de dados não processados para alimentar os modelos, com o intuito de aprimorá-los;
  • Computação de grande potência, com custo acessível, para um processamento rápido e eficiente.

Atualmente, a inteligência artificial é possível, portanto, com a fórmula: big data + computação em nuvem + bons modelos de dados = máquinas mais inteligentes.

Onde está e como se aplica a inteligência artificial no seu dia a dia?

A IA é a mudança tecnológica mais poderosa de todos os tempos na área da ciência da computação e já está presente em praticamente todas as tarefas do nosso dia a dia. Pelo menos todas que sejam eletrônicas e que envolvam dados digitais.

Ela está por trás de tudo o que você faz com seu smartphone, em cada recomendação personalizada feita nas redes sociais ou sites e que chegam no seu e-mail, chat, whatsapp ou SMS.

A inteligência artificial é responsável por nos ajudar a conectar cada vez mais nossos ambientes da vida, como casa, trabalho, lazer e viagens em uma única experiência. Além de nos ajudar quando solicitamos, ela nos acompanha, prevê necessidades e até nos lembra de tarefas importantes.

Inteligência artificial muda a forma da gente se relacionar com o mundo

Como consumidor, usamos a inteligência artificial sem nem perceber, como quando falamos com a Siri, da Apple, ou outro assistente pessoal. Para entender, basta pensar no reconhecimento de imagem para recomendar marcações em fotos do Facebook. E isso já existe há anos.

O Waze prevê as melhores rotas a partir da sua localização e o Google consegue preencher as buscas que você faz usando recursos de inteligência artificial. Isso também acontece quando ele prevê o que você quer pesquisar, identificando erros e acertos com grande precisão.

Quando você pede um UBER, lá está a inteligência artificial. Quando liga a tevê e vê novos filmes e seriados com a sua cara sendo indicados ou já inseridos no seu álbum de favoritos no Netflix. Isso porque existem diversas tecnologias que, combinadas, fazem isso funcionar.

Além de deixar as nossas escolhas mais inteligentes, a inteligência artificial também integra a análise preditiva aos aplicativos que usamos todos os dias. Esse tipo de análise identifica e prevê comportamentos futuros a partir de dados. Essa prática, com área avançada de analytics, é cada vez mais essencial para o sucesso dos negócios. Isso porque ajuda a apontar tendências, necessidades dos clientes e, por isso, ajuda na tomada de decisões estratégicas.

Para isso já há a Internet das Coisas (IoT), uma rede de bilhões de dispositivos conectados digitalmente, desde torradeiras de pão a turbinas de avião. Esses dispositivos coletam dados e podem se comunicar entre si para atender melhor aos usuários.

Quais são as tecnologias que estão por trás da inteligência artificial?

Você já não deve se espantar tanto com a interação das máquinas com você, no seu celular, banco, supermercado, como antes. Porque isso está cada vez mais comum e faz parte da sua vida.

Claro que alguns serviços de automação ainda não são popularizados. Como aqueles em que uma robô central assume a responsabilidade de ligar o seu forno e o ar condicionado pra você antes que chegue em casa. Mas isso é só uma questão de tempo e dinheiro.

O legal é saber que estamos usando tecnologias para ensinar os computadores a pensar. São elas: Machine Learning, Deep Learning, Processamento de Linguagem Natural (que estuda as limitações de uma máquina em entender a nossa linguagem), entre outras.

Todas elas estão ligadas à Ciência da Computação e juntas, compõem a IA. Isso faz com que plataformas e sistemas sejam criados para aprenderem, cada vez mais, com nossas rápidas interações. Isso contando com o Big Data, que são as grandes quantidades de dados usados como base para determinar os padrões e previsões realizados pelas máquinas.

No mundo inteiro são gerados trilhões de dados e essa quantidade imensa de informações é o que alimenta a inteligência artificial e os processo de machine learning, deep learning e PLN.

Conheça cada tipo de tecnologia usada na inteligência artificial:

Machine Learning: método usado para que a máquina aprenda com o mínimo de programação, criando regras lógicas por conta própria, a partir dos dados alimentados. O resultado é autônomo, como as recomendações personalizadas da Netflix e Amazon.

Deep Learning: aqui nos referimos a um aprendizado mais profundo, com o uso de algoritmos complexos para imitar a rede neural do cérebro. Com o aprendizado deep learning, o robô tem a inteligência para reconhecer voz e linguagem natural, assim como imagens, como é o caso do reconhecimento facial.

Processamento de Linguagem Natural: chamado PLN, utiliza as técnicas de machine learning para encontrar padrões em conjuntos de dados e reconhecer a linguagem natural. Como a análise de sentimentos, onde os algoritmos podem procurar padrões em posts das redes sociais para entender como os clientes se sentem em relação a marcas e produtos.

Para concluir, imaginamos que desde a revolução industrial, novas ferramentas são criadas para aumentar a capacidade humana para o trabalho e lazer. Com a tecnologia, acontece a mesma coisa. Após o computador pessoal e a melhoria da Internet, criou-se a computação em nuvem e o uso dos smartphones. A tecnologia artificial, com a IA, é o próximo passo, porque possibilita ir a algum lugar, fisicamente ou virtualmente, de forma mais rápida, intuitiva e inteligente.


Quer saber mais? Leia nosso artigo: Você já ouviu falar em transformação digital?   

Deixe um comentário

Receba conteúdos antes de todo mundo

Para começar...