O Brasil já superou a marca de um smartphone por habitante, contando com 220 milhões de celulares inteligentes ativos, segundo uma pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo. As oportunidades para atingir o público e inovar na divulgação são muitas. Nesse cenário, sobressaem as empresas que apostarem no Mobile First Design. 

Para entender esse conceito e mostrar como ele pode ajudar a sua empresa, reunimos alguns aspectos aos quais você não pode deixar de se ater. Confira!

O que é Mobile First Design?

É comum que, nos trabalhos de Design e Marketing, os criativos envolvidos comecem o projeto pensando nas ações para desktop e para materiais impressos. A questão é que uma parte considerável dos usuários acessa somente a versão mobile dos conteúdos — no Brasil, em 2016, eles eram 46 milhões, cerca de 43%, segundo a TIC Domicílios

O Mobile First Design envolve a transformação do mobile em uma prioridade em vez de mantê-lo como algo a ser considerado em etapas posteriores. O Instagram, por exemplo, foi uma rede social inteiramente pensada para a navegação mobile, mostrando a todo o mercado o potencial de se investir nesse tipo de uso.

Em um primeiro momento, essa lógica de pensamento parece impor uma série de limites. Porém, como afirma o renomado líder em produtos digitais, Luke Wroblewski, por ter uma série de restrições, as capacidades do mobile nos ajudam a focar no que realmente importa. Quer entender como? Acompanhe!

Como o Mobile First Design influencia o consumo?

Entenda como a lógica pode ajudá-lo em desenvolvimentos mais ágeis e a oferecer experiências melhores para os usuários!

Eliminação do lixo informacional

Um dos maiores problemas enfrentados por desenvolvedores, hoje, é o lixo informacional. É comum que, nas versões desktop, as equipes queiram inserir todas as informações possíveis, o que bloqueia uma série de princípios de usabilidade. 

Cada tela de um aplicativo ou site deve ter apenas uma função, fornecendo somente a informação de que o usuário precisa naquele instante. 

Quando projetamos primeiro para mobile, concentramo-nos no que realmente importa, pois o tempo de interação é menor, bem como o espaço. Consequentemente, o desenvolvimento é agilizado. 

Em termos de desenvolvimento, faz mais sentido estabelecer um código semântico e, em seguida, acrescentar códigos para trabalhar em telas maiores. 

Experiência de navegação ágil

A redução na quantidade de informações faz com que economizemos no tráfego de dados e na manutenção. Os seus consumidores terão uma experiência de navegação mais ágil, o que torna o contato com a sua marca mais positivo, aumentando o engajamento e, consequentemente, as conversões.

Interfaces personalizadas

Projetar uma solução Mobile First é entender que cada dispositivo deve fornecer uma experiência única para o usuário. Contudo, isso não requer um site para cada um deles! Considerando os princípios de design responsivo, a transição entre um equipamento e outro torna-se mais suave quando o URL é o mesmo. Portanto, os desenvolvedores precisam apenas considerar a navegação e a arquitetura de informações do site de maneiras distintas.

Pensar em Mobile First Design é, como descreve o especialista em UX Edu Agmi, ter em mente a mobilidade. O seu público quer estar conectado e comunicando-se a todo momento e em todo lugar. Explore a oportunidade de oferecer soluções digitais pertinentes para o contexto de seus clientes, resolvendo problemas do cotidiano e conquistando relevância para os seus usuários.

E você, gostou de nosso conteúdo? Siga-nos no Facebook, no LinkedIn, no Google+ e no Twitter e acompanhe nossas novidades!