Seja sábio e fuja dos erros cometidos por outros empreendedores para não falir

Sabemos que não há uma receita para o sucesso. O que funciona para uma empresa pode não funcionar para outra. Porém, há motivos comuns para que os empreendimentos fracassem. Como o conhecimento popular diz que o sábio é aquele que aprende com os erros dos outros, nós separamos as atitudes mais apontadas como causas da falência para que você possa evitar:

Falta de planejamento

Se um executivo tem planejamento de um ano, um empresário costuma fazer o planejamento de um dia ou de uma semana. Não conseguir conciliar projetos de curto e longo prazo é um dos principais problemas de um empreendedor. Além disso, muitos fracassos no início do funcionamento de uma empresa poderiam ter sido evitados se um plano de negócios tivesse sido elaborado da maneira correta. Ao mesmo tempo, há empreendedores que têm cautela em excesso e atrasam para inserir um produto no mercado, porque esperam atingir a perfeição, quando o produto deveria passar por adequações após o lançamento. A duas situações ocorrem por falta de planejamento e de previsão sobre as reações dos consumidores.

Não ter controle financeiro

Grande parte dos empreendedores inicia os negócios sem ter conhecimentos sobre conceitos fundamentais de finanças. Esses empresários acabam utilizando planilhas de contas a pagar e a receber de fluxo de caixa e as confundem com um verdadeiro controle financeiro.

A empresa precisa ter indicadores de controladoria, que auxiliem os estudos sobre os resultados obtidos no passado e os objetivos pretendidos. Também é necessário cruzar esses dados com o orçamento anual, planejamento operacional e balanço patrimonial para conseguir informações que sirvam como uma base sólida para as tomadas de decisão.  

Fornecer serviços ou produtos desnecessários

O Instituto CB Insights realizou uma pesquisa com 135 startups que fracassaram para entender o que as fez sair do mercado. A razão mais frequentemente apontada pelos empreendedores foi ter planejado uma solução para um problema inexistente. Parece muito óbvio que uma empresa que faz algo desnecessário não vá para a frente, certo? Mas, durante o planejamento, muitos empreendedores se apegam à ideia original e ficam cegos à questão. Para se ter ideia, 42% das startups fracassadas consideraram que, por melhor que fosse o atendimento e a tecnologia, suas soluções não resolviam problemas realmente críticos dos consumidores, tornando as empresas obsoletas em pouco tempo.

Não investir em Marketing

Na mesma pesquisa do Instituto CB Insights, número consideravelmente alto das 135 startups fracassadas, 14%, indicou que não souberam priorizar o investimento em Marketing no momento adequado. Uma delas apontou que, em determinado momento, conseguiu chegar ao número limite de consumidores possíveis de serem atingidos sem muito esforço. Como nenhum dos sócios tinha conhecimento em ferramentas de Marketing precisas, a possibilidade seria investir em uma consultoria especializada, porém, os empresários cometeram o erro de enxergar essa parte do negócio como despesa e a empresa acabou fracassando. O ideal é sempre utilizar o Marketing para conhecer o público-alvo, entender os interesses dele, como chamar sua atenção e como fidelizar esse público como cliente.